Buscar
  • Sinantrópicos Ambiental

Pombas diminuem nas ruas de Jundiaí



Quem costuma frequentar o Centro de Jundiaí e alguns bairros próximos sabe que a população de pombas já faz parte da paisagem local, principalmente em lugares onde há muita circulação de pessoas, como no caso dos terminais de ônibus e a Praça Governador Pedro de Toledo (Praça da Matriz).

No entanto, nas últimas semanas, as aves têm aparecido em menor número em vários pontos do município. Segundo o veterinário da Vigilância em Controle de Zoonoses (VCZ), Luis Gustavo Grijota Nascimento, o isolamento social é a principal alternativa para a diminuição da incidência destes animais, mas não descarta outras hipóteses. “As pessoas que circulam pelas ruas alimentam as aves direta ou indiretamente, com restos”, diz.

Grijota estabelece um comparativo com roedores. “Quando tem oferta de alimento eles se reproduzem mais rápido e quando a oferta diminui eles se autorregulam”, diz ele, explicando a diminuição da população quando há menor presença humana.

Segundo explica, toda diminuição de animais sinantrópicos, ou seja, aqueles não considerados domésticos e que deixam a vida silvestre, é benéfica, porque há menos doenças transmitidas por eles. “Além das pombas, podemos considerar os escorpiões, ratos e mosquitos”, diz o profissional Em Jundiaí, desde o final de 2019, é proibido pela Lei 8254/2014 alimentar pombas. A pena prevista para quem descumprir esta determinação é uma multa de R$ 200.


FONTE: JORNAL DE JUNDIAI

4 visualizações0 comentário