Buscar
  • Sinantrópicos Ambiental

Gambás podem aparecer em áreas urbanas na primavera

Época do ano é o período de reprodução das fêmeas, que buscam por alimentos



Na primavera, é comum ver animal por perto de casas na zona urbana - Lidiane Mallmann/arquivo


VALE DO TAQUARI | É primavera e é nessa época do ano que os gambás tendem a aparecer mais em ambientes urbanos e até mesmo se aproximar e entrar em residências. Por isso, é importante ficar alerta para a presença destes animais que são importantes para o equilíbrio ambiental.


A bióloga e doutora em zoologia, Liana Johann, explica que, diante da intensa invasão da espécie humana sobre os ambientes naturais, o gambá adquiriu hábitos sinantrópicos, e por isso são frequentemente observados na cidade, onde procuram resíduos orgânicos domésticos para sua alimentação.


Mas por que isso ocorre nesta época? De acordo com Liana, a primavera é o período de busca mais ativa e intensa por alimentos, pois é o período de reprodução da maioria das fêmeas. "Ou estão no período de amamentação, precisando garantir alimento para ter energia e amamentar até 21 filhotes que podem estar dentro do marsúpio - bolsa abdominal que recobre as glândulas mamárias da fêmea e onde os filhotes completam seu desenvolvimento - ou precisam alimentar os filhotes que, após saírem do marsúpio, ficam agarrados ao dorso da mãe até ficarem independentes."


Importância do gambá


A bióloga destaca que os gambás são animais noturnos e arborícolas, apresentando facilidade para caminhada e escalada. "Vivem em espaços vegetados e passam a maior parte da sua vida nas árvores, dormindo durante o dia em buracos nos troncos, ocos entre raízes ou em ninhos que eles mesmos constroem. São solitários e se alimentam de lagartos, rãs, cobras, ratos, insetos, carrapatos, ovos de aves, raízes e principalmente frutas. São, portanto, onívoros", diz Liana.


Além disso, os gambás possuem o importante papel de disseminar sementes, auxiliando na recuperação de ambientes degradados. "Sementes de muitas espécies de plantas passam intactas pelo intestino e continuam viáveis. Além disso, eles são capazes de controlar populações de outros animais que são considerados pragas nos ambientes urbanos", completa a profissional.


Liana Johann é bióloga e doutora em zoologia - Arquivo pessoal

O que fazer?


No caso de um gambá se aproximar de residências ou pátios, Liana Johann comenta que é necessário apenas esperar. "Durante o dia, ele se manterá acomodado e dormindo. Com a chegada da noite ele partirá por conta própria. Para evitar que esse animal se estabeleça em algum espaço da casa, especialmente telhados e forros, como moradia, deve-se vedar as possíveis entradas", salienta.


Resgate


O comandante do 1º Batalhão Ambiental da Brigada Militar (BABM) de Estrela, sargento Adilson Brum, conta que, recentemente, uma equipe foi deslocada para realizar o resgate de um filhote de gambá, localizado por uma moradora de Estrela. Segundo o policial, depois de recolhido, o animal foi encaminhado ao órgão municipal de Meio Ambiente para que o biólogo e o médico veterinário realizassem o devido tratamento. "Nesta época, é muito comum a cena de uma gambá amamentando ou carregando os seus filhotes pelos telhados e árvores", diz Brum



















Patram realizou resgate de filhote de gambá - Patram/divulgação



Animal foi encaminhado para avaliação de profissionais - Patram/divulgação


Ele recomenda que sejam vedadas aberturas, entre telhados e forros da casa, acondicionar o lixo corretamente e retirar sobras de rações. "Se o gambá estiver no quintal e houver vegetação ou árvores próximas, o morador pode colocar alguma madeira, simulando uma escada, para facilitar a sua saída", explica o sargento.


Sargento Adilson Brum, comandante da Patram - Divulgação


Caso necessário, é possível entrar em contato com a Patrulha Ambiental (Patram) de Estrela pelo (51) 3720-1318, com o órgão do meio ambiente do município em que o fato ocorrer ou com o Corpo de Bombeiros mais próximo, pelo 193.


FONTE: O INFORMATIVO


10 visualizações0 comentário